27 de outubro de 2015

Enquanto soube ficar

Você não sabe, mas pensei em te ligar diversas vezes. Sabe aquele momento em que a gente questiona as próprias decisões e quer voltar atrás e dizer que perdoa e que tudo bem, vamos errar de novo? Pensei em errar outras vezes junto com você; quem sabe assim uma hora a gente aprende. Não te liguei, apesar de tudo - e olha que todos falaram, e olha que todos me odiaram, e me xingaram, e disseram que nunca te amei, e disseram que eu brinquei com você, e disseram que foi sempre tudo mentira - e apesar de todos os pesares e do tanto que me pesou a sua ausência, eu não te liguei. Eu não te liguei porque eu sei que nem tudo o que nos faz falta é amor e fingir que ainda era só seria um jeito de enganar a mim e a você. 

Foi uma droga todo o tempo sem você. E assistir uma comédia e lembrar como você ria ao meu lado. E olhar pra cada canto do meu quarto e ver um resquício seu porque você é dessas pessoas que deixam lembranças até quando não querem deixar. Eu quis te dizer antes de você ir que eu iria lembrar pra sempre de você, até se eu não quisesse lembrar. Mas nem isso eu falei. Afinal, que direito a gente tem de querer que o outro entenda o nosso lado quando a gente não quer mais? Você não tinha que entender, por isso eu nunca quis me justificar. 

Pensei em ser infeliz. Sabe? Pra você não me odiar por rir e sair e conhecer gente nova enquanto você sofria, chorava e doía. Mas pensei também que quando a gente ama, como você ainda dizia me amar, a gente quer ver o outro bem. E tentei ficar bem por você e por mim e pela nossa história - porque acho tão triste quando a gente esquece tudo de bom e uma história fica manchada pelo seu fim. Eu não quis que o nosso fim tivesse mais importância que o nosso começo. 

Por isso, não foi indiferença. Nem te esqueci rápido demais, como disseram. Eu vivi, é verdade. E não te liguei, nem fui atrás, nem quis te prender em mais nada. Mas apenas porque, às vezes, acaba. Entende isso? Não tem culpado, nem monstro, nem quem lutou mais ou quem lutou menos. O fim pode ser só um fim. 

Mas não me arrependo. Talvez você sim e me odeie, mas não me arrependo. Não me arrependo de ter me entregado, e mergulhado em você, e entregado cada porção de mim que achei capaz entregar. Amei de um jeito que eu nunca tinha amado. Talvez você não entenda por que acabou ou por que não te liguei ou por que qualquer uma das coisas que ainda te dói aí, mas disso não duvide: te amei como louco das poucas formas que sei amar. Que soube te amar. E fiquei enquanto soube ficar. 




Comentários
6 Comentários

6 comentários:

  1. Esse texto me acertou em cheio. Você disse exatamente o que eu quis dizer um tempo atrás e não encontrei as palavras. Foi amor mas acabou, pensei em ficar triste para que entendesse que não era frieza... Enfim, me identifiquei bastante com essas palavras. Parabéns pelo texto!
    Beijos!
    http://MariaJoseMJNL/

    ResponderExcluir
  2. Esse texto ficou perfeito, meu Senhor Jesus.. A cada dia escrevendo melhor u.u kah sendo kah ❤

    ResponderExcluir
  3. Parece que a cada palavra descreveu à mim. O fato de colocarmos um fim em algo. Mas não querer justificar, e apenas saber que acabou e que foi bom, e que apesar das saudades, não é como se quiséssemos voltar atrás

    ResponderExcluir
  4. Pensei em ser infeliz. Sabe? Pra você não me odiar por rir e sair e conhecer gente nova enquanto você sofria, chorava e doía.

    Aiai, Karine e suas palavras certeiras.

    ResponderExcluir
  5. Me tocou também. Ainda que em partes, acredito que muitas pessoas já tenham partilhado de alguns desses sentimentos.

    ResponderExcluir

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)