Pular para o conteúdo principal

Quando a gente encontra

Cê lembra daquele dia que eu achei que nunca mais ia parar de doer e eu gritei e eu esperniei e eu te liguei às três da manhã na sua casa e exigi - exigi - que você fizesse passar? E você fez.

E quando eu achei que tinha feito todas as escolhas erradas na vida, cada uma delas, e questionei todas as minhas decisões, e chorei um tanto, e te tratei mal porque a minha vida tava uma bosta e você não abriu meus olhos e fui uma chata, uma insuportável, uma cuzona. E você aguentou, respirou fundo, me deixou chorar e surtar e culpar o mundo por tudo de errado, e depois colocou juízo na minha cabeça e me fez ver que mesmo que eu tenha feito mil escolhas erradas, uma escolha eu fiz certa:

Eu nunca deixei você sair da minha vida.

E aquele dia em que eu tava triste e ninguém entendia e você entendeu?
Quando eu ri do nada e você nem precisou perguntar qual era a piada?
E aquela viagem que era pra ter sido uma bosta se a gente analisasse assim friamente, mas acabou entrando pra lista de melhores viagens da vida?

E o fato da gente ficar dias sem se falar porque a vida, cara, a vida torna tão difícil manter contato com quem tá longe, mas você sentiu aí do seu lado do mundo que eu não tava bem e me procurou? E era exatamente o momento em que eu mais precisava de você.

E as histórias? E as ligações? E os mil emails te contando um pouquinho de tudo o que eu passo sem você, mas que queria tanto que você vivesse comigo.

E a dor de não ter você toda hora pra te dar um abraço de felicidade, de dor, de saudade, de comemoração ou de desespero? Mas ainda assim preferir procurar você e seus conselhos distantes do que qualquer abraço próximo porque ninguém mais entende, mas você sim.

E as mensagens, e os áudios, e os snapchats, e os tweets e as mensagens no Facebook. E essa ligação só nossa, só-nossa-cara, que eu não sei explicar e posso ficar aqui meia hora tentando, mas ninguém vai saber direito o que é. Além de você.

Disso tudo cê lembra?
É que eu lembrei aqui e me toquei.
Me toquei que amizade verdadeira, pra tudo, pau pra toda obra sabe?, é um bagulho difícil pra caramba de encontrar, mas quando a gente encontra...

Quando a gente encontra, a gente faz texto idiota só pra dizer: sou sortuda pra caralho por ter encontrado você.

Comentários

  1. Amigos assim valem mais que todo o tesouro do mundo!!
    http://trancadoasetechaves.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ahhh Ka! Desde quando teus textos sao idiotas? Adoooro tuas palavras e teu jeito de escrever. Sempre taaao carregado de sentimentos! =) Ate daqui a pouco HAHAHAHAH Beijinhos

    http://www.verdadeescrita.com/para-todos-que-querem-mudar-de-pais/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah <3 Linda! ahahhaha

      Ate daqui a pouco! HAHAHAHA

      beijos

      Excluir
  3. A vida não pode separar oq foi feito para ficar junto xD
    http://www.saibando.com/

    ResponderExcluir
  4. Aquele texto que te dói bem ali no canto esquerdo acima da costela, que dói onde você jurou que já não doía mais?
    E quando ele te faz sentir idiota ao pensar que ninguém nesse mundo merecia ler esse texto a não ser a única pessoa que já te fez sentir e passar por tudo isso.
    Apenas queria dizer, obrigada.

    ResponderExcluir
  5. woooooooooooow! No meio de todas as escolhas erradas tem sempre aqueeeela certa <3
    que texto maaara! Adorei!

    http://diariofizzo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…