Pular para o conteúdo principal

Mas você devia saber melhor

Disseram que eu não te amei. Que meus sorrisos eram falsos, que minhas declarações eram vazias, que eu fingi amor e fingi paixão e fingi que queria ficar com você. Disseram que eu nunca quis, que eu era só mais um babaca entre os tantos babacas que você encontrou. Que eu não merecia seu carinho, nem sua saudade, nem suas memórias. Disseram que todas as coisas que eu te prometi eram mentira, que eu nunca lutei por você, que eu só atrasei sua vida no tempo em que a gente ficou junto. E eu nunca liguei pra nada do que disseram.

Mas você devia saber melhor. 

Pensaram que era porque eu queria alguém com os sonhos parecidos com os meus. Que eu me achava superior. Que eu não te achava tão bonita. Pensaram que era por causa das minhas novas amizades, dos novos lugares que eu frequentava, do meu novo trabalho. Pensaram que eu cansei porque é isso que eu faço: canso rápido. E eu não liguei pro que pensavam. 

Mas você devia pensar melhor.

Acharam que eu te traí. Que eu queria voltar com a minha ex. Que eu tava infeliz no nosso relacionamento. Que eu só queria você pra pagar de casal apaixonado no Facebook. Acharam que você merecia mais, alguém melhor, alguém mais maduro, alguém com certezas, alguém que quisesse ir pro mesmo caminho que você. Acharam que a gente não tinha nada a ver, que éramos incompatíveis, que a gente nunca ia dar certo, que já estávamos fadados ao fracasso antes mesmo de começar. E eu nunca liguei pra nada do que achavam. 

Mas você devia achar melhor. 

Falaram que o problema sempre fui eu. Minha idade. Meu passado. Meus amigos. Falaram que com meus gostos, nunca ia vingar. Que você não fazia o meu tipo, que era porque a gente não gostava dos mesmos rolês. Falaram que eu nunca fui verdadeiro, nunquinha, que eu nunca prestei – pra nada. E eu? Eu não liguei. 

Eu deixei que dissessem, que pensassem, que achassem, que falassem. Eu nunca liguei – porque eles não sabiam de nada, nunca souberam. Mas você, você tava lá, você viveu tudo aquilo, você se jogou tanto quanto eu, você olhou nos meus olhos e mergulhou naquilo comigo. E, mesmo assim, você deixou que dissessem, que pensassem, que achassem, que falassem...e você escolheu acreditar neles. É por isso que eu não volto. 

Porque era eu. E era você. E você devia me conhecer melhor.


Comentários

  1. ameeeeei!!!
    você sempre arrasando nos seus textos... Parabéns Karine!!

    http://osvintes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Karine, parabéns pelo texto, sempre arrasando, sem sombra de dúvida, e desde muito tempo tenho muito amor pelo seu cantinho, pois é incrível, e por conta disso eu criei uma postagem em meu blog sugerindo seu blog para os meus leitores, espero que goste linda, quando tiver um tempinho da uma olhadinha lá, novamente parabéns, http://www.luaintensa.com.br/2016/01/7-blogs-para-se-inspirar-em-2016.html

    ResponderExcluir
  3. http://hstrdiaris.blogspot.com.br

    Visitem meu blog

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …