Pular para o conteúdo principal

Ano novo, blog novo


E o blog começa 2016 com gente nova na equipe.

Junto com a Paula Toledo, agora a Caroline Freitas e a Fernanda Campos também fazem parte do Isso Não É Um Diário. A Carol foi escolhida pelos leitores e venceu a primeira seleção de colunistas que fiz aqui nos últimos dias. Já a Nanz é minha amiga há anos, uma das escritoras que mais admiro e também uma leitora fiel.

Espero que vocês curtam os novos textos, as novas colunistas e a nova fase do blog.

E que 2016 seja incrível pra todos nós.



Conheça um pouco mais sobre a equipe: 




CAROLINE FREITAS
20 anos, de Minas Gerais e atualmente morando no Espírito Santo. Desde o ano passado, ela se dedica ao "Cartas, Cafés e Alguns Acordes", blog em que fala música, cinema, literatura e tudo mais o que lhe vêm à cabeça.





FERNANDA CAMPOS,
24 anos de sonhos cafeinados e amores engavetados (ou vice-versa). Meio indie, meio bookholic, meio escritora e meio psicóloga. Inteira, mesmo, só depois de um café. Sonhou em estudar em Hogwarts, mas foi morar no Condado, onde vive um amor com um hobbit. Em caso de stalker, nanzcampos para qualquer rede social. Oferece uma poção de Félix Felicis a todo mundo que indica seu blog, curte ou comenta seus textos. Não a levem a sério. Levem-na à Starbucks.


PAULA TOLEDO,
Estudo direito e aos 22 anos ainda não decidi se não me encaixo nas palavras ou se elas que transbordam de dentro de mim. Escrever traz um alívio pra toda dúvida que mistura com a intensidade de tudo que sinto, mas, ainda assim, não é o mais importante. Escrevo porque acredito. Acredito no amor, nas pessoas, na justiça, na vida. Pode ser que não dê pra descobrir o sentido das coisas - ainda - mas, escrevendo, dá pra chegar mais perto

Comentários

  1. Votei na Caroline e fiquei feliz com a escolha!
    Boa sorte nessa nova etapa do blog!
    Beijos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …