Pular para o conteúdo principal

Se isso fosse um diário


Se isso fosse um diário, eu diria que minha cor preferida é vermelho. Que eu amei futebol por boa parte da minha vida, mas agora eu cansei. Que meus filmes favoritos são Pearl Harbor e Diário de uma Paixão. E que eu amo comédias românticas, cultura pop e reality show.

Se isso fosse um diário, eu contaria que falo muito palavrão – provavelmente, mais do que eu deveria – mas, se isso fosse um diário, eu assumiria também que eu não tô nem aí pro que eu deveria ou não fazer. Se isso fosse um diário, eu diria que detesto trilhas, me enfiar no meio do mato, acampar e insetos. E que eu amo praia mais do que qualquer coisa.

Se isso fosse um diário, eu contaria que sou de esquerda, apesar de não ser comunista. Que eu amo discutir política e estudar sociologia. Que, vez em quando, eu penso em fazer uma faculdade de filosofia só por fazer. E que eu sou feminista.

Se isso fosse um diário, eu contaria que venho me boicotando há tempos e que eu faço planos só pra fugir deles porque isso é o que eu mais sei fazer. E que eu morro de medo de ser uma dessas pessoas cheias de potencial, mas que nunca deixaram de ser apenas isso: a promessa de. A promessa de ser alguém que nunca foi.

Se isso fosse um diário, eu diria que já me arrependi de textos que escrevi, de textos que deletei e de ideias que eu nunca transformei em textos. E contaria que eu tenho livros inacabados nos meus documentos. Cinco.

Se isso fosse um diário, eu assumiria que sinto saudade de gente que deixei sair da minha vida por puro orgulho. Ou por preguiça de correr atrás. Ou porque eu simplesmente tava muito ocupada com mil outras coisas pra me importar com quem tava indo.

Se isso fosse um diário, eu escreveria aqui que eu nunca me apaixonei. Nunquinha. E que aquele menino da quinta série não quebrou meu coração. Ele me magoou, e me fez chorar, e me fez assistir algum filme bonitinho da sessão da tarde, mas meu coração continuou inteiro depois dele. E ainda continua.

Se isso fosse um diário, eu falaria que sinto falta de uma pessoa que nem me lembro bem pelo simples fato de achar que ela seria a única que entenderia (tudo) – porque ela sempre entendia.

Se isso fosse um diário, eu diria que cinco textos desse blog eram sobre mim, que eles eram de um diário. E, se isso fosse um diário, eu contaria mais sobre mim. Mas, como isso não é um diário, eu não preciso contar nada, você não precisa ler nada, e é isso. Nós dois podemos fingir que esse é só mais um texto que não é sobre mim. 

Porque isso não é um diário

Comentários

  1. Porque isso não é um diario. kkkk adorei.

    http://olhardamadrugada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahahaha Obrigada, Ana ❤️

      Excluir
  2. ''Nós dois podemos fingir que esse é só mais um texto que não é sobre mim. ''
    Me identifiquei muito,belo texto,bjs!
    http://trancadoasetechaves.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Como sempre, maravilhosa, né?
    Beijos,
    Duda www.ensaiopoetico.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E vc sempre linda <3
      Obrigada, Duda!

      Excluir
  4. Meu Deus, meu Deus,meu Deus.. Que gênio <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua maravilhosa! Muito obrigada!

      Excluir
  5. O que dizer sobre esse texto Karine, simplesmente incrível <3 sempre passo por aqui, sempre <3
    www.luaintensa.com.br

    ResponderExcluir
  6. O que dizer sobre esse texto Karine, simplesmente incrível <3 sempre passo por aqui, sempre <3
    www.luaintensa.com.br

    ResponderExcluir
  7. O que dizer sobre esse texto Karine, simplesmente incrível <3 sempre passo por aqui, sempre <3
    www.luaintensa.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …