Pular para o conteúdo principal

A gente não precisa ser o casal do Instagram



Conheci um casal que era lindo nas fotos do Instagram. Declarações de tirar o fôlego. Apaixonados em cada uma das fotos. Um desses casais que dá vontade de ser igual, sabe? Mas não era real. Depois da foto tirada, eles quase não se falavam. Não tinha mais nada ali, além do que queriam mostrar pro mundo. Mas amor que precisa ser mostrado é só amor ensaiado, né? Acho que certas coisas precisam apenas ser sentidas.

Eu não sou a melhor pessoa para falar sobre relacionamentos, é verdade. Quem eu penso que sou, não é mesmo? Alguém que nunca viveu um relacionamento duradouro, apaixonante, apaixonado e tudo mais. Mas acho que é uma coisa sobre qualquer sentimento: não precisa ser um show. Você não precisa ser a melhor amiga de todas no Facebook. Eu prefiro que você seja minha melhor amiga numa madrugada em que eu estiver do outro lado do mundo tendo uma crise e precise desabafar com alguém. É esse tipo de amizade que eu quero na minha vida.

Tem uma frase que eu não sei quem escreveu, mas que adotei para mim: "Seja uma boa pessoa, mas não perca seu tempo provando isso". Afinal, quem é legal, bacana, bom coração de verdade não precisa ficar repetindo isso o tempo inteiro, né? Eu sei, nesses tempos de mil redes sociais é uma tentação "mostrar quem a gente é" o tempo inteiro. Mas que tal se, só pra variar, a gente fosse quem a gente é, sem precisar mostrar nada pra ninguém?

Porque, na vida real, a gente nunca vai ser o casal bonito do Instagram. Nunca vai ser a amiga perfeita do Facebook. Não que a gente não possa também ser aquilo, mas a gente é sempre muito mais. Muito mais complexo, muito mais imperfeito. E que bom. Que bom que a gente não é lindo sempre, que a gente não acerta sempre, que a gente não é só o que mostra numa foto bonita. A gente é muito além disso. E a graça, te juro, tá aí. 

Comentários

  1. Que texto incrível, penso exatamente como você, alguns momentos precisam apenas ser vividos, sem ser compartilhados, registrados em fotografia, eu gosto de viver e aproveitar tanto que quando chegar em casa eu pense "putz esqueci de tirar uma foto" pq a vida é feita de momentos e não só de fotografias, adorei mesmo este post estará nos meus favoritos do mês, parabéns

    http://www.pinkisnotrose.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, é bem assim mesmo, né? Que bom que você gostou!
      Obrigada, beijos!

      Excluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …