Pular para o conteúdo principal

As pessoas são como são


Demorei pra aceitar, enrolei, quis muito que as pessoas mudassem - por mim, pelo mundo, porque era "melhor pra elas" - mas hoje, finalmente, entendi que é isso: as pessoas são como são. E eu, do alto dos meus vinte e poucos anos, não sei o que é melhor para ninguém - da mesma forma que ninguém vai saber o que é melhor ou não pra minha vida. 

Descobri que algumas pessoas gostam de azul, outras de amarelo. E cada um é feliz da sua própria maneira. Alguns arrumam suas malas, embarcam para o outro lado do mundo e nunca mais voltam. Outros ficam e criam raízes. Acho que amadurecer, pra mim, foi entender que ninguém é melhor ou pior por ir ou ficar. A gente só precisa de coisas diferentes pra ser feliz. Entende?

De verdade: não dá pra medir as escolhas das pessoas com a régua das nossas próprias escolhas. 
E o motivo é bem simples, nada de grandes complicações: cada um é feliz do jeito que é. 

Acho que de todas as coisas que aprendi ao longo desses poucos anos, a que mais me libertou foi essa. Um desses lemas que passei a levar pra vida e deixa tudo tão mais leve. Porque me faz encarar a vida de uma outra maneira e me liberta dessa obrigação de ser o que os outros esperam que eu seja. Não vou ser. Nunca, nem que eu tente muito. 

Se possível, guarde aí no caderninho também: Algumas pessoas são felizes com o que elas são felizes. 

E tudo bem. A gente não precisa entender ou aceitar ou concordar. A gente não precisa bater palma, julgar, interferir, dizer o que tá errado ou o que tá certo. Se ela não tiver fazendo mal pra ninguém, se tiver apenas tentando ser feliz da própria maneira, então tá tudo tranquilo. E, da minha parte, tudo mais do que favorável. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…