Pular para o conteúdo principal

O que a gente sabia do amor?



Não sei se você vai lembrar, mas teve uma noite em que a gente ficou umas boas horas jogado no sofá, as pernas entrelaçadas, taças de vinho na mão e Beatles como música de fundo. E uma certeza dessas que a gente só tem quando tá apaixonado demais pra se dar conta de qualquer outra coisa a não ser o outro e tudo o que a gente tá sentindo. A gente achou que passaria dias e mais dias ali, daquele jeito, a vida passando e a gente ficando e sendo e amando, do jeito que tinha que ser.

Mas o que a gente sabia da vida?

E aquela vez em que a gente viajou pro outro lado do mundo e foi em todos aqueles lugares. Todas aquelas fotos. Os beijos com os pontos turísticos no fundo. Aquele sentimento de que ainda ia ter muita história, e muitos lugares, e muitos sonhos, e muitas outras coisas pra acontecer. Os dois ali, inteirinhos, vivendo o início do resto de nossas vidas. Porque a gente achou que ia ser pra sempre.

Mas o que a gente sabia sobre o tempo?

As noites que a gente marcou pra depois. E os filmes que ficamos por ver. Aquele restaurante que você queria tanto me levar. E a casa da minha vó lá no interior que eu jurei que você ia conhecer. Aquelas tantas coisas, aquilo tudo, a vida inteira - o que a gente foi empurrando e o que a gente planejou. Tudo pra dali a pouco, tudo pra qualquer hora. Porque a gente achou que tinha toda a vida pela frente.

Mas o que a gente sabia sobre o futuro?

E as declarações. E os beijos no pescoço. Os "eu-te-amo" sussurrados no ouvido. Os bilhetes que você deixava quando tinha que sair bem cedo e não queria me acordar. E as mensagens que eu te mandava no meio do dia, só pra saber como cê tava. Aquele brilhinho irritante nos olhos que a gente tinha - todo mundo falava. A vontade que eu tinha de você e que eu sabia que você tinha de mim também. Sei lá, não sei se você vai lembrar, mas aquilo tudo, sabe? Aquilo tudo que a gente tinha no peito e queria sair gritando por aí. 

Era, eu sei que era. Quer dizer, eu achei que era. Você achou também e a gente jurou que ia dar certo. Afinal, quando alguém sente o que a gente sentia, não tem como não dar, não é? E era tão bonito. Uma dessas histórias que a gente acha que não, essa não, essa não vai acabar. Porque era aquela palavra lá. 

Mas o que a gente sabia, não é?
A gente não sabia coisa alguma sobre o amor.
A gente não sabia de nada. 


Comentários

  1. Adorei o texto, como todos os outros hahaha. Arrasou!

    osvintes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elaine sempre linda! Obrigada, fico feliz que tenha gostado! <3

      Excluir
  2. Anônimo31/5/16

    A melhor "notícia do dia" que aparece no meu celular é a de atualização do blog com seus textos maravilhosos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que comentário maravilhoso! <3 Encheu meu coração ler isso!

      Excluir
  3. Anônimo1/6/16

    De todos blogs, eu venho todos os dias ver se tem seus textos. Sua colaboradoras são otimas, mas não é você sabe? é lindo, mas falta alguma coisa. Escreve maaaais :( você me consola mt !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai gente! Se identifica pra eu poder agradecer direitin! <3 Mas de qualquer forma: MUITO obrigada! Fico feliz que goste!

      Excluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …