Pular para o conteúdo principal

O que a gente sabia do amor?



Não sei se você vai lembrar, mas teve uma noite em que a gente ficou umas boas horas jogado no sofá, as pernas entrelaçadas, taças de vinho na mão e Beatles como música de fundo. E uma certeza dessas que a gente só tem quando tá apaixonado demais pra se dar conta de qualquer outra coisa a não ser o outro e tudo o que a gente tá sentindo. A gente achou que passaria dias e mais dias ali, daquele jeito, a vida passando e a gente ficando e sendo e amando, do jeito que tinha que ser.

Mas o que a gente sabia da vida?

E aquela vez em que a gente viajou pro outro lado do mundo e foi em todos aqueles lugares. Todas aquelas fotos. Os beijos com os pontos turísticos no fundo. Aquele sentimento de que ainda ia ter muita história, e muitos lugares, e muitos sonhos, e muitas outras coisas pra acontecer. Os dois ali, inteirinhos, vivendo o início do resto de nossas vidas. Porque a gente achou que ia ser pra sempre.

Mas o que a gente sabia sobre o tempo?

As noites que a gente marcou pra depois. E os filmes que ficamos por ver. Aquele restaurante que você queria tanto me levar. E a casa da minha vó lá no interior que eu jurei que você ia conhecer. Aquelas tantas coisas, aquilo tudo, a vida inteira - o que a gente foi empurrando e o que a gente planejou. Tudo pra dali a pouco, tudo pra qualquer hora. Porque a gente achou que tinha toda a vida pela frente.

Mas o que a gente sabia sobre o futuro?

E as declarações. E os beijos no pescoço. Os "eu-te-amo" sussurrados no ouvido. Os bilhetes que você deixava quando tinha que sair bem cedo e não queria me acordar. E as mensagens que eu te mandava no meio do dia, só pra saber como cê tava. Aquele brilhinho irritante nos olhos que a gente tinha - todo mundo falava. A vontade que eu tinha de você e que eu sabia que você tinha de mim também. Sei lá, não sei se você vai lembrar, mas aquilo tudo, sabe? Aquilo tudo que a gente tinha no peito e queria sair gritando por aí. 

Era, eu sei que era. Quer dizer, eu achei que era. Você achou também e a gente jurou que ia dar certo. Afinal, quando alguém sente o que a gente sentia, não tem como não dar, não é? E era tão bonito. Uma dessas histórias que a gente acha que não, essa não, essa não vai acabar. Porque era aquela palavra lá. 

Mas o que a gente sabia, não é?
A gente não sabia coisa alguma sobre o amor.
A gente não sabia de nada. 


Comentários

  1. Adorei o texto, como todos os outros hahaha. Arrasou!

    osvintes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elaine sempre linda! Obrigada, fico feliz que tenha gostado! <3

      Excluir
  2. Anônimo31/5/16

    A melhor "notícia do dia" que aparece no meu celular é a de atualização do blog com seus textos maravilhosos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que comentário maravilhoso! <3 Encheu meu coração ler isso!

      Excluir
  3. Anônimo1/6/16

    De todos blogs, eu venho todos os dias ver se tem seus textos. Sua colaboradoras são otimas, mas não é você sabe? é lindo, mas falta alguma coisa. Escreve maaaais :( você me consola mt !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai gente! Se identifica pra eu poder agradecer direitin! <3 Mas de qualquer forma: MUITO obrigada! Fico feliz que goste!

      Excluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…