Pular para o conteúdo principal

NA TELONA: Como Eu Era Antes de Você





Ontem, depois de muita espera, finalmente tive a oportunidade de conferir o filme Como Eu Era Antes de Você graças a uma parceria do site Papel Pop com a Warner. A sessão exclusiva rolou lá no Kinoplex do Shopping Vila Olímpia, em São Paulo, e ainda nos rendeu um livro dado pela Editora Intrínseca, lencinho de papel para ver o filme, pipoca, refrigerante e a melhor parte: uma meia-calça de abelha (você tem que ver o filme ou ler o livro pra entender minha felicidade em ganhar isso)!. 

Bom, depois de poder ver o filme em primeira mão, chega a parte mais importante: o que eu achei? 


"Você só tem uma vida. É seu dever vivê-la o máximo possível".


Esta é a frase que define a história de Como Eu Era Antes de Você, filme estrelado por Emilia Clarke e Sam Claflin e baseado no livro de mesmo nome da escritora Jojo Moyes. Nele, Louisa Clark (Emilia Clarke) é contratada para cuidar de Will Traynor (Sam Claflin), um bem-sucedido homem de negócios que se vê preso a uma cadeira de rodas após um trágico acidente que o deixou tetraplégico. Logo, no entanto, a extravagante Lou descobre que sua tarefa como cuidadora não é exatamente prezar pela saúde física de Will, e sim tentar tirá-lo de uma depressão e mostrar a ele que ainda existem razões para viver. 

Antes de tudo, preciso ressaltar como os atores se encaixaram bem em seus papéis. Esse é sempre um medo que tenho quando vou conferir adaptações no cinema - que os personagens fiquem muito diferentes de como imaginei quando estava lendo o livro, a ponto de me decepcionar. Isto não acontece em Como Eu Era Antes de Você. Sam Claflin faz um Will sarcástico e consegue passar bem as emoções nos olhares e sorrisos contidos do personagem. Já a atriz Emilia Clarke, para mim, é o grande diferencial do filme. Ela faz uma Lou bastante expressiva, leve, dinâmica e divertida. E a química entre os dois atores funciona muito bem. 

O filme tem uma pegada doce e, por mais que fale de uma improvável história de amor em uma situação trágica, é bem leve. Durante a exibição em que eu estava, conseguiu arrancar boas gargalhadas dos espectadores. Além disso, a história caminha para uma direção oposta ao que estamos acostumados em romances, o que a torna muito mais crível. 

O ponto negativo, para mim, é a rapidez com que tudo acontece, deixando de lado detalhes que eu considerava importantes. Claro que um filme adaptado nunca vai conseguir ser extremamente fiel ao livro, mas senti falta de pontos que, durante a leitura, foram essenciais para que eu entendesse melhor os personagens e me emocionasse com suas dores. Porém, apesar de não ter me arrancado lágrimas, o filme conseguiu me deixar com aquele mesmo aperto no coração que faz a gente questionar a vida e as nossas escolhas.

Vale a ida ao cinema, com toda a certeza.  




Depois que assistirem, compartilhem suas opiniões aqui comigo. Vou adorar saber o que acharam. 



Comentários

  1. Quem eu era antes de você chegar? 
    Eu era paz, tranquilidade, inepta as expectativas, sem sonho. Era apenas uma pessoa que vivia dias após dias.
    A grande diferença entre sobreviver e viver, eu não sabia até você me mostrar. 
     E tudo foi novidades, as pernas entrelaçadas, os beijos com sorriso e um eu te amo após um dia massante.
    E tudo passou como um trovão e agora eu só tenho que reparar os desastres e analisar o tamanho do prejuízo.
    Você disse que tudo, os dias passam e eu não me sentirei mas perdida, assustada e com medo.
    Mas não me disse como seria, depois de você. Marcella gomez ♡

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…