Pular para o conteúdo principal

Obrigada por isso


A primeira vez que quebraram meu coração, eu achei que não dava mais conta de amar. Sei lá, eu era nova e quando a gente é nova acha que as dores são as maiores do mundo. Não que eu queira minimizar a pisada de bola, não quero. Mas fato é que sobrevivi; venho sobrevivendo aos trancos e barrancos a mentiras, chifres, episódios de deslealdade e papéis de trouxa que nem cabem mais aqui.

Eu já era mais madura na segunda vez e tentei pensar que a gente sempre aprende alguma coisa quando cai. Mesmo que eu tenha caído feio, mesmo que tenha me ralado inteira, mesmo que eu tenha chorado escondido no quarto sem ninguém ver. Aprendi, eu acho. Que amar envolve reciprocidade, antes de tudo. E que eu não posso - e nem devo - convencer ninguém a me amar. Nem me ajoelhar implorando que o outro entenda o meu amor, que me ame, que fique. Quando a gente quer ficar, a gente fica.

A terceira, assumo: achei que o problema era comigo. Eu que amava errado, eu que não merecia o amor de alguém legal, eu que devia ter grudado chiclete na cruz ou qualquer coisa assim. Bom, eu pensei, acho que é isso: o amor não é pra mim. Porque deve ter isso (eu achava): gente que não nasceu pro amor; e tudo bem, eu era uma dessas pessoas. 

É verdade que eu nunca precisei do amor romântico pra ser feliz; eu tenho um punhado de amor em forma de amigos, família e irmãos. Mas doeu - acho que sempre dói - acreditar que o problema era meu. Me enxergar como não-merecedora de algo que tanta gente tinha e parecia tão feliz. Essa medalha não era pra mim, eu achava. Talvez outras fossem, essa não. E eu me achava um pouquinho pior a cada dia por causa disso.

Aí veio você. 

Veio você e foi fácil, depois de tantas vezes difíceis. Veio você e foi simples. Veio você e fez as minhas pernas tremerem e a garganta formar um nó porque, meu deus, acho que agora é amor-amor, não amor-meia-boca. Veio você e eu perdi o medo de amar. 

Não quero soar exagerada, cê sabe que eu não sou assim. Não tenho essa certeza toda que os casais têm que a gente vai viver junto o resto da vida. Não tenho. Talvez você nem seja o amor da minha vida. Talvez nossa história acabe daqui uns dois meses. Talvez eu chore, talvez você quebre meu coração, talvez eu quebre o seu. Relacionamentos são imprevisíveis e eu não coloco a minha mão no fogo por nenhum deles. 

Mas veio você. Sabe?

E depois de tanto tombo, depois de tanta lágrima, depois de achar que o problema era eu, você me fez acreditar que não, não é isso: eu também fui feita pro amor.  É, eu também mereço encontrar alguém legal e tirar fotos bregas no Instagram com legendas um pouco vergonhosas. Eu também mereço ser amada - quem não merece?

Você veio e me fez amar de novo. E me fez acreditar, pela primeira vez, que me amar não tem que parecer tão difícil. 

Obrigada por isso. 


Comentários

  1. Todos somos merecedores do amor, e uma hora acontece e você vai perceber que é a melhor coisa do mundo! Pode ser agora, depois ou em algum reencontro da vida, mas te desejo toda felicidade


    Bjs Carol do http://www.pinkisnotrose.com/ ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que comentário lindo, Carol <3

      Excluir
  2. ''acho que agora é amor-amor, não amor-meia-boca. Veio você e eu perdi o medo de amar. ''
    Espero um dia experimentar esse tipo de amor,enquanto isso vou aprendendo as lições que só certas dores trazem,bjs Karine!!
    http://trancadoasetechaves.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou te falar que tbm espero ahahhaa <3

      Beijos

      Excluir
  3. Karine você é uma das melhores escritora que eu já li! Quero um livro seu na minha estante pra onteeeem! Providenciaaa por favoor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que linda! <3 OBRIGADA, BETINA! Sério! Tô tentando correr atrás disso do livro, prometo! Beijos

      Excluir
  4. "E depois de tanto tombo, depois de tanta lágrima, depois de achar que o problema era eu, você me fez acreditar que não, não é isso: eu também fui feita pro amor."

    Sou fã. Não tem jeito. Já deixei claro.
    Karine, suas palavras já me guiaram muitas vezes.
    Tão bom ver tanto sentimento meu... Traduzido em você.
    Obrigada!

    http://sentimentalismodesmedido.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Parabens pelo texto amiga. Queria deixar claro que eu posso nao ler os teus textos no exato momento quando voce publica, mas sempre salvo para ler depois (tipo agora). Putz, eu adoro o jeito como voce escreve. Vou ser sempre a tua tiete. O texto flui tao bem, e voce realmente sente o que o autor (no caso voce) quer que voce sinta. Eu sinto que voce se parece com o Woody Allen, mas voce seria a versao textual dele. E falo isso porque voce REALMENTE brinca com os nossos sentimentos. Teus textos nao tem nenhum final obvio e quando voce termina a leitura voce teve tantos altos e baixo e sentiu um pouco de tudo, que acabamos perdendo o ar. Putz, faltam-me palavras pra elogiar o teu texto. Espero que voce tenha entendido a comparacao que eu tentei fazer HAHAHAHA. SAUDADES menina california. Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …