Pular para o conteúdo principal

O agora é subestimado

Talvez seja a ocasião, mas, ultimamente, metade das conversas que tenho em algum momento chegam ao mesmo lugar: quais são meus próximos passos. Caramba... Eu não sei. Eu não sei o que vou fazer amanhã, semana que vem, ou, nos anos seguintes. Eu não sei! Frequentemente acontece de eu estar tão exausta que sequer consigo vislumbrar os próximos minutos. É como estar de volta à adolescência: uma criaturinha assustada sem saber o que fazer a seguir. E às vezes me pergunto se chegamos mesmo a descobrir... As coisas mudam com tanta frequência que tenho sorte se consigo acompanhar.

Eu, especialmente, tenho mudado tanto. Nos últimos meses, vivi tantas coisas que eu sequer havia imaginado que só o fato de eu manter minha sanidade (quase) intacta já me parece o bastante por agora. E o agora é sempre tão subestimado.

Tudo parece uma corrida. Uma história superficial em que cada momento é vivido em expectativa por algo que ainda não aconteceu; em que só o que existe é isso: expectativa. E às vezes nem é por tanta coisa assim. É só essa ideia de que a próxima pessoa, o próximo emprego, o próximo-seja-lá-o-que-for deve ser melhor. É um ciclo vicioso, me arrisco a dizer. E me mata lentamente.


Ao menos uma vez eu quero me deixar vivenciar exatamente este momento. Este bem aqui. Sem preocupações com o almoço de amanhã, o que farei quando acabar a faculdade ou o livro que comprei há semanas e ainda nem cheguei à metade. Minha vida já é estranha o bastante sem que eu precise adicionar uma dose extra de ansiedade. Eu só preciso estar viva. O restante eu descubro no caminho. Eu nunca lidei bem com roteiros, de qualquer forma.

* * *

O motivo da minha ausência por aqui é este: eu estava escrevendo um livro sobre a violência contra a mulher. Caso se interessem, ele está disponível para download neste link aqui: http://wp.me/p6p8qn-1vo.

Comentários

  1. Li dois textos desse blog e estou apaixonada <3 é tão bom encontrar um lugar com gente que escreve tão bem *--*
    Beijoo
    http://dementelucidez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou do post? Deixa sua opinião ou sugestão de post aqui que a gente vai adorar ler! ;)

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…