Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2016

Não trocaria minhas saudades por nada

Houve um tempo em que eu odiava sentir saudade. Puta sentimento doído, né?, eu pensava. Puta dor desnecessária que aparece quando a gente menos espera, numa quinta à tarde, quando a gente olha sem querer a foto de uma lembrança antiga. Sentir saudade pra quê?

O negócio dói mesmo, é verdade. Saudade é daquelas dores que pegam de jeito, que nem soco no queixo que deixa a gente tonto no final da luta. 

Mas, pensando bem, sentir saudade é bom. 

Que bom é ter essa certeza bonita de que, em algum lugar do passado, ainda que por poucos segundos, minutos ou dias inteiros, a gente foi feliz. A gente sorriu e riu e ganhou essas memórias alegres que nos invadem às 3 da manhã do dia 30 de dezembro, quando a gente olha pra trás. 

Vem com um buraco no peito, é verdade, e às vezes acaba numas poucas lágrimas ou numa dor de estômago ou numa pontada aguda no peito, mas, preciso ser sincera: não trocaria minhas saudades por nada.

Porque, se o contrário da saudade louca é o arrependimento de não ter me arris…

Você foi a escolha que eu nunca pude fazer

Você foi a escolha que eu nunca pude fazer. Não que você não tivesse passado na minha cabeça e dominado meu coração, mas você chegou um pouco tarde mesmo que ainda fosse tão cedo. Não culpei ninguém por isso não – apenas eu mesma. Quer dizer, quem mandou querer sair esbaforida pra resolver a vida tão cedo? É que a vida tem dessas volta e sempre, não é? De te encostar na parede e dizer é agora ou nunca e fazer você decidir. Mesmo que por causa disso eu tenha corrido, eu quero te dizer que eu lembro todos os dias do que não aconteceu.

Eu lembro do quanto eu gostava do teu abraço assistindo Malhação. Eu lembro que você nem tinha barba e eu adorava sentir as tuas bochechas lisas nas minhas. Eu lembro que você fingia estudar e eu te flagrava me olhando por cima do livro que você deveria ler. Eu lembro que você sempre esteve lá por mim. E é sério, não é que eu não queria estar lá por você, mas a vida falou mais alto. E talvez a nossa incapacidade de compreender o que tínhamos fez a vida pass…

Eu preciso que você pare de esperar que eu "encontre alguém"

Tive uma crise há alguns dias. Eu, que em 95% do tempo ando bem resolvida com as minhas últimas decisões. Que sei bem que não preciso de um homem para me sentir realizada, feliz, bem-sucedida e inteira. Eu, que fiz a faculdade que quis, trabalhei nos lugares que desejei, juntei um dinheiro suado e me aventurei sozinha do outro lado do planeta. Mesmo quando muita gente achava que eu não conseguiria. 

Eu tive uma crise. Uma dessas que a gente não conta para ninguém (nem mãe, nem pai, nem irmão, nem melhores amigos) porque se envergonha de ter tido. Uma dessas que a gente não gosta que vire texto e fique exposta para quem nem te conhece. 
Ainda assim, eu tô contando pra você: tive uma crise.
Conto porque preciso que você pare. De verdade, já disse isso uma dezena de vezes, mas dessa vez eu preciso de verdade. Chega, está bem? Chega de querer me apresentar amigos que eu não pedi para conhecer. Ou de me falar daquele aplicativo que uma amiga sua usou e conheceu o amor da vida (provavelmente, …