Pular para o conteúdo principal

Indicação: Estrelas Além do Tempo


Um filme sobre três mulheres. Melhor: três mulheres negras. Três mulheres negras que trabalham na NASA na década de 60, em plena Guerra Fria, e ajudam os Estados Unidos a levar o homem ao espaço. Vai falar que só por saber disso já não dá vontade de conferir? Pelo menos foi o que eu pensei assim que vi o trailer de Estrelas Além do Tempo, filme estrelado por Taraji P. Henson (de Empire), a cantora Janelle Monáe e Octavia Spencer (de Histórias Cruzadas). Então não é novidade que, assim que surgiu a oportunidade de assistir à pré-estreia do filme com o Papel Pop, na semana passada, eu corri para o cinema.

E que acerto!

Sabe quando você sai da sala de cinema com a sensação de ter gastado bem suas horas livres? Foi o que pensei no fim de Estrelas Além do Tempo. Além de ser uma comédia dramática envolvente, com uma trama empolgante e tiradas divertidas, o filme conta a história de três heroínas americanas que foram escondidas da história por anos devido a uma sociedade machista e racista. Ver a luta dessas mulheres contra um país segregado finalmente sendo retratada é uma das coisas mais bonitas desse filme.

É claro que também há a sensação de revolta: em certos momentos, fiquei enjoada ao pensar que tudo aconteceu há não muito tempo ou ainda que, pior, muito do racismo retratado no filme acontece ainda nos dias de hoje.

Ainda assim, Estrelas Além do Tempo é uma quebra de paradigma, dando à mulher negra um papel de destaque não apenas como a empregada, a escrava, ou a mulher hipersexualizada - coisas que tantas vezes acontecem nos filmes, séries e até novelas brasileiras. Dessa vez, as mulheres negras são fortes, inteligentes e essenciais para a história da empresa em que trabalham, a NASA. Tudo isso dá voz à luta contra o preconceito gritante e o velado, tantas vezes praticado por pessoas que insistem em dizer coisas do tipo "Não tenho nada contra vocês" para os negros, enquanto suas ações mostram outra coisa.

É claro que o filme não é perfeito. Acho, sim, que poderia ter abordado o racismo de forma mais incisiva e complexa. Também acho que, em determinada cena do filme, um personagem branco acabou surgindo como o "salvador da pátria" - o que me incomodou um pouco. Porém, não vejo esses pontos como falhas gritantes. Afinal, só a temática desse filme e suas personagens principais já são uma vitória tão grande que só consigo pensar que é um filme necessário, mesmo que ainda hoje em 2017.


Estrelas Além do Tempo tem três indicações ao Oscar e já está no cinema. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Querido namorado da minha ex-melhor amiga,

Ela chorou durante uma semana quando o primeiro cara quebrou o coração dela. E a gente passou o fim de semana vendo Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar por vezes seguidas. A gente comeu brigadeiro, e tomou sorvete, e eu dei colo, e eu ouvi e limpei as lágrimas. Você não viu, porque você não tava lá, mas eu tava. 
Ela sofreu para escolher que faculdade iria fazer. E me fez ir a palestras e cursos com ela, mesmo que eu não estivesse interessada em nada daquilo. E me fez saber um pouco mais sobre as profissões que tava considerando. E pediu minha opinião milhões de vezes. E só decidiu o que iria prestar no vestibular aos quarenta e cinco do segundo tempo. Você não ficou nervoso com a ansiedade de ver se ela tinha passado na faculdade pública, mas eu fiquei. Porque você não tava lá, e eu tava. 
Ela conheceu um monte de babacas nos anos seguintes. E algumas vezes chorou, algumas vezes bebeu, algumas vezes disse que nunca mais ia ficar com cara nenhum. Algumas vezes ela só dormiu com …