Pular para o conteúdo principal

Canção de Ninar, Sarah Dessen #Leiturasde2017



"Não deixe ficar sério demais.
Não deixe ele partir seu coração.
E nunca, em hipótese alguma, saia com um músico". 

A lista de regras para não se apaixonar de Remy parece simples e vem dando certo. Há anos a adolescente desistiu do amor, depois de acompanhar tantos casamentos mal sucedidos de sua mãe (ela está indo para o quinto!) e de lidar com a decepção de nunca ter conhecido seu pai, um músico famoso que escreveu uma canção em sua homenagem. A garota, então, aposta em fórmulas para se relacionar com os garotos. Ela planeja quando e como acabar os relacionamentos, prevê como seus namorados irão reagir ao fim, e nunca - nunca - entrega seu coração. Isto lhe dá uma dezena de relacionamentos superficiais para contar história. Até que ela conhece Dexter. 

Dexter, para descontentamento de Remy, é um músico que se estabelece temporariamente na cidade com sua banda. Juntos, os dois começam a construir um relacionamento diferente do que a garota está acostumada - ainda que, por muito tempo, ela acredite que tudo está sob controle. A partir de então, Remy tem que repensar suas certezas, o que acaba fazendo com que explore feridas e traços de sua personalidade que tentava esconder. 

Uma Canção de Ninar, da Sarah Dessen, é um livro que fala sobre amor: não apenas o amor romântico, mas também o amor entre amigos e familiares. É também o segundo livro que leio da autora (já tinha contado antes aqui como eu amei Os Bons Segredos). Dessa vez, no entanto, tenho que admitir que a história me deixou um pouco decepcionada.

Apesar de ter gostado dos personagens e, principalmente, do casal principal, achei a construção da narrativa muito superficial. Não consegui, de fato, me apegar a ninguém, muito menos à Remy. Logo, ficou difícil entender suas dores, seus problemas, seus traumas e sua personalidade autodestrutiva sem um aprofundamento da personagem. Para mim, é bonita a mensagem de que o amor nos ajuda a superar certas coisas, mas não compro muito a ideia de que isso acontece da forma rápida e fácil que aconteceu no livro. Ainda mais quando se trata de problemas familiares de anos. 

É claro que não é um livro ruim - entretém bastante e a leitura é bem rápida. Como já disse antes por aqui, gosto muito da forma que a Sarah Dessen escreve, de forma muito leve e fluída. Mas, ainda assim, faltou alguma coisa. Não foi um livro que me fez ficar apaixonada. Uma pena. 

Livro 3: Uma Canção de Ninar
Título Original: This Lullaby
Autora: Sarah Dessen



Sinopse: 
Não deixe ficar sério demais. Não deixe ele partir seu coração. E nunca, em hipótese alguma, saia com um músico. Remy não acredita no amor. Sempre que um cara com quem está saindo se aproxima demais, ela se afasta, antes que fique sério ou ela se machuque. Tanta desilusão não é para menos: ela cresceu assistindo os fracassos dos relacionamentos de sua mãe, que já vai para o quinto casamento.
Então como Dexter consegue fazer a garota quebrar esse padrão, se envolvendo pra valer? Ele é tudo que ela odeia: impulsivo, desajeitado e, o pior de tudo, membro de uma banda, como o pai de Remy — que abandonou a família antes do nascimento da filha, deixando para trás apenas uma música de sucesso sobre ela.
Remy queria apenas viver um último namoro de verão antes de partir para a faculdade, mas parece estar começando a entender aquele sentimento irracional de que falam as canções de amor…

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A história do fim de uma amizade

Você sentiu falta. Ligou, procurou, correu atrás. É estranho que isso tenha acontecido depois de tanto tempo. É estranho que tenha acontecido quando a alegria acabou, o namoro acabou, aquela sua maré ótima acabou. É estranho que você tenha buscado o colo e não a comemoração. Você sentiu falta, e eu queria que isso tivesse acontecido antes. Sentiu falta, e eu queria que eu voltasse a me importar com isso. 
Você veio, me abraçou, e teve um abismo enorme entre nossos dois corpos. A gente não soube o que falar, não soube até onde podia ir uma com a outra, não soube que novidades contar, não soube nada. Rimos aqui, ali, falamos aquele superficial que falamos com uma colega qualquer e depois nos perdemos em um silêncio que durou minutos, mas pareceu durar uma vida. 
Durou uma vida. Nossa amizade, tantos anos de risadas, de abraços, de choros, de lágrimas. E por isso é quase desumano soltar a mão de alguém que esteve com a mão entrelaçada na minha durante todo esse tempo. Mas acredito que nos …

Cansei de brincar de ser trouxa

Eu cansei das mensagens visualizadas e não respondidas. De ter que estar pronta pra quando você quisesse, mas nunca poder contar com sua presença quando eu queria. Eu cansei de ser sempre tudo do seu jeito, de mendigar sua atenção, de tentar me encaixar entre um horário e outro da sua agenda, de me esforçar pra caber nuns buraquinhos esquecidos da sua vida. 
Cansei das idas e vindas, cansei da falta de atitude, cansei das vezes em que você disse que eu era tudo o que você queria, só não era agora, só não era a hora. Eu cansei de escrever sobre você, de dizer que ia te esquecer, de voltar atrás, de tentar mais um pouco, de insistir mais um tanto. Eu cansei naquela noite em que você não voltou. Naquele silêncio em que a gente não dividiu. Na madrugada inteira que você não me aqueceu e eu morri de frio. 
Eu cansei depois daquele seu olhar vazio quando eu apareci de surpresa. Eu cansei de achar que era você, e era eu, você só não sabia. Porque, quando é, a gente sabe desde o começo. Eu cans…